domingo, 2 de junho de 2013

Turquia e Grécia VIII

16 de maio, dia de acordar ainda mais cedo: 4 da manhã.
Fomos apanhados as 4 e meia, rumo ao passeio de balão. Primeiro, um café com pãozinho.















Em seguida, assistir a preparação, com os balões sendo inflados,








até que começam a subir.















Um extra de 150 euros por pessoa, mas que vale cada centavo pago!
Fiquem com as fotos:

O nascer de mais um dia, na Turquia, do alto.











Merhaba!!















Sim, uma emoção direta ao coração.






















A propósito, o vôo em balão é bastante seguro e feito com muito profissionalismo. Em nosso passeio foram cerca de 90 balões no ar simultaneamente, sendo que o recorde, ocorrido em 2012, é de 110 balões no ar. O acidente, do qual tomamos conhecimento quatro dias depois, já em Santorini, na Grécia, creio ter sido uma fatalidade, já que o balão que subia atingiu a cesta de outro mais acima e teve quase todo seu "pano" e cordames rasgados, caindo verticalmente. Os balões possuem paraquedas, inclusive e no triste episódio, não houve o que fazer por parte do baloeiro.



Já descendo, após cerca de 1 hora e 15 minutos, considerado um vôo longo para os padrões, em direção ao veículo de apoio.

Já esvaziando e, acreditem: o pouso foi exatamente sobre o reboque do veículo de apoio!















Um brinde com espumante
E meu diploma de vôo.
Olha o diploma aqui:

A propósito, Osvalho deve ser meu nome turco... rs
Pra enriquecer o post, um vídeo e algumas fotos, feitas pelo próprio piloto do balão, registrando alguns segundos do vôo.
video




O barulho, que vez por outra se ouve, é o piloto acionando os maçaricos a propano, aquecendo o ar, e mantendo o balão no ar

Em seguida, fomos levados de volta ao hotel, para um café da manhã turco, pegar as malas e pé na estrada novamente.
Oportunidade de alguns papos com o novo amigo, César, de Brasília, rumo a Ankara.
Ankara é a capital da Turquia e não Istambul, como muitos imaginam.
Pelo caminho, margeamos o Lago Salgado. Trata-se da maior reserva de sal turca. O lago é raso e na época da seca, o sal é retirado, sendo responsável por 98% do consumo do país.
















E, depois do dia inteiro na estrada, com uma parada técnica, para almoço, quando finalmente provei a Pida turca, chegamos a capital.
Um rápido tour e parada no memorial de Ataturk.
Trata-se do grande herói moderno, turco, um dos responsáveis pela vitória na chamada Guerra da Independência turca, proclamador da república, em 29 de outubro de 1923 e seu primeiro presidente.
Mustafa Kemal Ataturk foi um admirador do iluminismo e procurou transformar as ruínas do estado Otomano numa nação-estado democrática. Foi o responsável pelo fim do califado, baseando-se na soberania da nação turca. Graças a sua influência, os turcos aboliram a roupagem do oriente médico e adotou roupas europeias modernas e as mulheres ganharam direito a voto.
Após uma longa série de negociações políticas, Turquia e Grécia assinaram um tratado de amizade, em 25 de outubro de 1930.
Contra ele pesam algumas acusações, como a do massacre de Dersim, onde pode ter chegado a 40 mil Alevis curdos e Zazas mortos ou deportados.
Morreu em 10 de novembro de 1938 e até hoje, a cada dia, as 09:05 hs, hora da sua morte, todo o país respeita um minuto de silêncio.
Deixou a frase "Paz em casa, paz no mundo", como lema nacional da República da Turquia.



Prosseguimos até o Museu Itita e pudemos apreciar algumas antiguidades incríveis.






A excursão pelo interior da Turquia terminou com nosso guia nos deixando no aeroporto de Ankara, para embarque de volta a Istambul.
Tempo para olhar umas lojinhas e beber umas cervejas com outras pessoas da excursão.



















Mais um vôo da ótima Turkish Airlines, que teve 45 minutos de atraso e, 50 minutos depois, chegamos de volta a maior cidade turca.

Um airbus A-340 completamente lotado, como de resto, todos os vôos que fizemos ao longo da viagem.
Chegada a Istambul, por volta de 21:30 hs. Uma suspeita de bomba no desembarque do aeroporto nos reteve por cerca de 1 hora, até que o esquadrão anti-bombas limpasse a área.

Chegamos ao hotel, novamente o Konak, às 23:30, exaustos e felizes, por tantas emoções num só dia.
Após um kebap e cerveja, aquele banhão delicioso do hotel e cama, que amanhã é dia de partir para a Grécia!

Nenhum comentário:

Postar um comentário