terça-feira, 12 de julho de 2016

Farol baixo

Apesar de não concordar om a obrigatoriedade do farol baixo nas rodovias, teço algumas considerações a respeito, já que, pelo que conheço dirigindo mundo afora, acho o motorista brasileiro entre os piores de todos.
A esmagadora maioria, sempre metida a esperta, não passa de um bando de idiotas do volante. Sem falar nos hipócritas, capazes de ficar parado num sinal de pedestre, de uma rua deserta, às 3 da manhã, numa zona de risco de uma grande metrópole, bloqueando a passagem. O mesmo hipócrita sem noção que é capaz de estacionar numa vaga para idosos ou deficientes. O mesmo hipócrita sem noção que acha que se a velocidade máxima é 40 km/h, ele fica na esquerda da via e quem está atrás que respeite, virando, de repente um fiscal da lei... rs
Sem falar na ignorância de motoristas que acreditam que "dar uma paradinha" não prejudica o trânsito, até porque, provavelmente, fugiram, cabularam a aula, que explicava o que é reação em cadeia...
Antes de mais nada, o farol baixo aceso, de dia, é muito eficiente em países normalmente no hemisfério norte, onde a incidência solar é bem inferior a do Brasil. Aqui, a cor do veículo é tão ou mais importante do que o faro baixo aceso. A preferência nacional é por veículos pretos, brancos, prata, cinza, grafite e... são as cores mais difíceis de serem distinguidas à distância.
Na chamada hora do "lusco fusco", por exemplo, como dizia meu finado pai, se seu carro não for cor de laranja, amarelo, verde claro, ou até mesmo vermelho, você dificilmente será visto adequadamente, sob o aspecto segurança.
Bem, vamos às considerações.
Primeiro, de nada adianta acender o farol, se você anda pela faixa da direita o tempo todo, na velocidade que quer, ignorando o fluxo de tráfego.
Segundo, de nada adianta acender o farol, se você ultrapassa pela direita e até mesmo pelo acostamento.
Terceiro, de nada adianta acender o farol, se você não utiliza as setas ao fazer conversões, ou simplesmente muda de faixa de rolamento.
Quarto, de nada adianta o farol aceso, se você não presta atenção se as luzes de freio do seu veículo estão funcionando.
Quinto, de nada adianta o farol aceso, se você fala ao celular e até mesmo digita, enquanto dirige.
Sexto, de nada adianta o farol aceso, se você dirige de uma forma que acha acidental capotar um veículo em zona urbana, perder o controle numa reta, também urbana, e se acidentar.
Sétimo, de nada adianta o farol aceso, se você age como se ao ligar seu veículo e sair dirigindo, acha que é como se tivesse ligado um ventilador e se esquece de que ele pode gerar as consequências de uma arma, ferindo e matando.
Oitavo, de nada adianta o farol aceso, se você nem consegue entender qual o efeito esperado.
Nono, de nada adianta o farol aceso, se você não tem noção de quando está ou não está na preferencial, de quando deve ou não deve parar e esperar.
Décimo, de nada adianta aprender a acender o farol, apenas para não ser multado, se você não tem a real noção do que é o ato de conduzir um veículo automotor e dos riscos envolvidos...
Resumindo: não adianta acender o farol, se você não sabe, de fato, dirigir. Precisa até que alguém explique o que é o farol baixo e como o acende.
Sem falar nos que têm noção limitada de cidadania e agem como donos da rua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário